sábado, 14 de julho de 2012

Franqueza e Prudência*

Professor das princesas, filhas de Pedro II, Joaquim Manoel de Macedo, o célebre romancista de "A Moreninha", desempenhava o seu mandato de deputado geral, quando o conselheiro Francisco José Furtado, organizador do gabinete Liberal de 31 de agosto de 1864, o convidou para a pasta dos Estrangeiros.
Recusada a honra, mandou o Imperador chamar o escritor à sua presença, e indagou o motivo do seu gesto,  quando possuía tantas qualidades para ser um bom ministro.
- Admita-se que eu tenha as qualidades que Vossa Majestade me atribue, - respondeu Macedo: - mas eu não sou rico, requisito indispensável a um ministro que queira ser independente.
E decidido:
- Eu não quero sair do Ministério endividado ou ladrão!


* Salvador de Mendonça - Artigo n'"O Imparcial", 1913
Extraído originalmente do Livro: O Brasil Anedótico, p. 15.

Um comentário:

  1. kkkk Sérgio, eu não sabia desse detalhe não! kkk Aí mostra a honradez do homem de bem, né não?

    Se o Brasil atual tivesse homens assim, estaríamos melhor!

    Bacana!

    O Sibarita

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua contribuição!